Veja onde irão trabalhar os 3 mil novos docentes convocados pela rede estadual

Ao todo, são 2.414 novos professores e 636 coordenadores pedagógicos

Mais de 3 mil docentes aprovados no último concurso foram convocados pela Secretaria da Educação do Estado em publicação no Diário Oficial desta terça-feira (28). Ao todo, são 2.414 novos professores e 636 coordenadores pedagógicos, em todo o estado.

Os professores terão remuneração total de R$ 2.814,28,e os coordenadores pedagógicos, R$ 2.890,87. A carga horária semanal é de 40 horas.

Os docentes vão ocupar vagas no Magistério Público do Ensino Fundamental e do Ensino Médio do Estado da Bahia, nas áreas de Arte, Biologia, Educação Física, Filosofia, Física, Geografia, História, Língua Inglesa, Língua Portuguesa, Matemática, Química e Sociologia.

Os convocados devem entregar a documentação nos locais especificados no edital de convocação. O concurso foi realizado em fevereiro deste ano, pelas secretarias da Administração (Saeb) e Educação (SEC).

Os aprovados para as cidades do interior do Estado deverão comparecer, nas sedes do Núcleo Territorial de Educação (NTE) para o qual se inscreveram, munido da documentação original e fotocópia, no período entre os dias 3 e 17 de setembro, das 8h30 às 11h30 e das 14h às 17h30.

Já os candidatos aprovados no NTE de Salvador devem comparecer na Secretaria da Educação, que fica na Avenida Luiz Viana Filho, 550, 5ª Avenida, Centro Administrativo da Bahia – CAB, Térreo, sala 4, no horário das 8h30min às 11h30 e das 14h às 17h30.

Déficit

A coordenadora geral do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB), Marilene Betros, considera importante a convocação, mas disse que ainda assim vai continuar com um déficit na rede estadual. “Temos quase mil aposentadorias para sair este ano. Sempre vai haver uma defasagem. Em disciplinas como química, física, biologia e matemática, por exemplo, vai permanecer o déficit”, informa.

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia informa que, atualmente, a rede estadual de educação conta com 38 mil professores, entre efetivos e contratados através do Regime Especial de Direito Administrativo (Reda). Explica, ainda, que os professores que, porventura, precisam se afastar, são substituídos, imediatamente, por professor efetivo com disponibilidade de carga horária.

Afastamento

O CORREIO publicou matéria no domingo (26) informando que, todos os dias, ao menos cinco professores da rede estadual são afastados da sala de aula por motivo de saúde. Segundo informações da Secretaria da Administração do Estado (Saeb), de janeiro a agosto deste ano, foram 1.361 educadores. Ou seja, são 3,4% de um total de 40 mil profissionais da ativa.

Diretor executivo da Associação dos Professores Licenciados do Brasil – Secção da Bahia (APLB-BA), João Santana diz que, em média, os afastamentos crescem 2,5% ao mês. “No Diário Oficial, todos os dias as listas de afastados são enormes por conta dos problemas de saúde. Os motivos vão dos mais simples como a Lesão por Esforço Repetitivo (LER) até casos como alcoolismo, drogas e depressão”, explica.

Segundo a Saeb, entre as principais causas de afastamento estão as neoplasias (tumores), doenças musculoesqueléticas nos olhos, no coração e nos aparelhos respiratório, circulatório e digestivo.

Na avaliação de João Santana, tudo isso é provocado pelo ambiente de trabalho do professor. “Falta tudo: se trabalha com insegurança, sendo ameaçado por quadrilha. Juntando isso ao estresse e ao salário que a gente ganha, o professor acaba tendo que trabalhar 60 horas para conseguir uma remuneração melhor”, avalia.

Para ele, a demora da liberação das aposentadorias também afeta esse quadro. “Até o ano passado, tínhamos 10 mil professores com idade e tempo para se aposentar. São profissionais que perdem o estímulo justamente porque continuam sendo espremidos desse jeito”, acrescenta.