Camaçari é a melhor cidade para investimentos na indústria

Unidade fabril da Basf em Camaçari, na Bahia: polo industrial vive expansão (Leandro Fonseca/Exame)

A 37 quilômetros de Salvador, o polo industrial de Camaçari, responsável por 30% das exportações da Bahia e 22% do PIB da indústria de transformação do estado, vive um momento de franca expansão, apesar da crise econômica que veio à reboque da pandemia e abateu boa parte da economia brasileira.

“Uma série de atrativos, como a infraestrutura de dutos para escoamento das matérias-primas produzidas no local até o porto mais próximo, o de Aratu, vem atraindo mais investimentos”, afirma Mauro Pereira, superintendente do Comitê de Fomento Industrial de Camaçari.

Em agosto, a prefeitura da cidade lançou uma campanha para atrair novas empresas e impulsionar a retomada no pós-pandemia. A maioiria dos novos negócios deve se concentrar no complexo industrial.

A capacidade de atração de investimentos rendeu à Camaçari o primeiro lugar no ranking do setor industrial elaborado pela Urban System, que leva em consideração dez indicadores, entre eles o índice de crescimento das empresas e a infraestrutura de trannsportes.

Atualmente, o complexo, que tem um faturamento anual de 60 bilhões de reais, emprega cerca de15.000 pessoas, cujo salário médio é de 5.200 reais por mês. O valor é 55% acima da média nacional, em razão da necessidade de mão de obra especializada.

Camaçari, com cerca de 300.000 habitantes, vive do sucesso do polo: 37% dos empregos formais são industriais e 10% da arrecadação vem das indústrias ali instaladas. Grandes empresas como a Basf, uma das maiores indústrias químicas do mundo, e a Braskem, entre dezenas de outras, empregam milhares de pessoas no complexo industrial. A Basf já estuda planos de expansão.

“Conforme a evolução da economia brasileira, pensamos em analisar novos investimentos no complexo industrial da Bahia”, diz Tânia Oberding, diretora industrial do complexo da Basf em Camaçari.

Com informações da Exame